O que mais ouvi falar nos últimos dias, é que as pessoas não gostaram ou não entenderam para que serve exatamente o Google Wave. Porém ontem chegou a minha vez, recebi o convite e comecei a testar a ferramenta.

É claro, a lei de Murphy não falha. Logo após começar ocorreu o apagão no Rio, que me deixou na vontade.
Mas depois pude completar o teste e descobri uma fantástica ferramenta colaborativa!

Então se você ainda não entendeu como funciona e quer saber como usar o Google Wave, ou ainda ouviu dizer mas não sabe o que é, vou dar uma prévia.

Ao abrir, me lembrei um pouco do Microsoft Outlook, pastas na esquerda, junto com os contatos, a Caixa de Entrada (Inbox) ao centro, e o visualização das waves na direita.
Utilizando com mais calma, reparei que esta organização é personalizável, o que ajuda muito se você utilizar uma resolução menor.

A princípio, posso me arriscar a dizer que o Wave é uma mistura de e-mail, ou ainda do Gmail, com o Google Talk. Você pode enviar uma wave para a pessoa, que ficará na caixa de entrada dela até que ela entre e veja.
E se vocês dois estiverem online no mesmo momento, tem uma indicação de que a pessoa está online e um consegue ver o outro digitando, alterando ou incluindo qualquer coisa na Wave.
Cada insersão desta, que assemelha-se a uma mensagem de gtalk, chama-se blip.

Mas a grande diferença aí, é que você pode editar os blips enviados!

Agora pense nas possibilidades: Ao editar um blip, podemos organizar um material já enviado anteriormente e manter aquele “documento” (neste momento me lembra um pouco o Google Docs, com compartilhamento) sempre atualizado, com toda a linha do tempo e debate de como se chegou e porque se chegou naquela conclusão nos blips subsequentes.

Para melhorar ainda mais, cada wave pode ter vários participantes, e ser aplicados tags, tornando assim uma ótima ferramenta para fazer trabalhos de faculdade, pós ou mesmo trabalhar, quando se tem muita gente participando e precisa-se chegar a um resultado comum. Eu já estou usando com propósito parecido e digo, estou adorando!

Para finalizar com chave de ouro, além de ter a possibilidade de incluir anexos, fotos, vídeos etc nos blips diretamente, ou por meio de busca no Google de dentro do próprio wave e o inserir, a Google abriu as portas de vez para a inovação, permitindo a instalção de plugins!

Para ser perfeito mesmo, só faltou o Wave aceitar receber e-mails, já que utiliza o mesmo padrão de endereçamento para seus contatos. Pelo menos nos testes que fiz, não recebi mensagem de erro ao enviar um e-mail para o meu Google Wave, mas também não recebi o e-mail no Wave.

É óbvio, a ferramenta acabou de ser lançada e ainda tem alguns pequenos bugs, mas nada que não seja corrigido durante o tempo.

E você, já usou? Gostou? Odiou? Deixe sua opinião aqui!

Tags: