Você leu o jornal de manhã, sabe que agora vão cobrar uma taxa para iluminação. Fica meio indignado, mas não tem muito o que fazer. Se arruma e vai para o trabalho quando, no caminho, percebe que as luzes dos postes estão acesas durante o dia.

Revolta, claro, o que mais passaria pela cabeça nestas horas? Sua primeira reação é reclamar com a pessoa que estiver mais próxima. Depois passa a indignação e você a esquece, mas a lâmpada continua lá, acesa. Mesmo que um amigo diga para você reclamar, você sabe que não adianta. De mais a mais, onde iríamos falar disto? Fazer uma carta e enviar para o jornal?

Isto pode até funcionar, mas o ideal mesmo é reclamar na concessionária. Mesmo que não resolvam o problema de início é gerado um protocolo, então passa a constar como uma reclamação oficial e o melhor de tudo, entra nas estatísticas.

É claro que não estou dizendo para você ligar reclamando como se fosse culpa da atendente. Reclamação é você relatar um problema, não descontar a sua raiva nos outros!

Mas a parte interessante é que, aproveitando o exemplo acima, se a Light não resolver o problema, você pode (e deve) reclamar diretamente com a Agência Reguladora, esta que é mais séria e normalmente resolve o problema. Neste caso em específico do nosso exemplo, deveríamos procurar a AGENERSA.

E assim como em uma empresa não reclamamos diretamente com o dono a cada mínimo problema, mas vamos escalando até que seja resolvido, se a Agência Reguladora não resolver, devemos ter o número de protocolo, nome do atendente, data e hora da ligação para que possamos reclamar dela para a Agência Nacional. E se ainda assim não resolver, escalamos no último ponto, a ALERJ.

A verdade é que é NOSSA a obrigação de relatar os problemas utilizando as ouvidorias das concessionárias e escalando se não resolvido. Então se a gente não fizer isto, nunca nada será resolvido! É como ocorre com a violência. Muitas vezes as pessoas deixam de registrar ocorrência nas delegacias por acharem que foi bobeira, algo pequeno ou que não vai adiantar. Mas se você não faz a queixa, a polícia NUNCA vai reforçar a segurança do local, pois não apresenta índice de criminalidade ali. Afinal, não tem nenhuma ocorrência registrada!

Resumindo tudo:

A cada reclamação é essencial você anotar:
– Número de protocolo;
– Data e hora da reclamação;
– Nome do atendente.

Como escalar o problema se não for resolvido:
1º – Fazer a reclamação com a concessionária (Light, Cedae, Metrô, SuperVia etc);
2º – Se não resolver, reclamar com a Agência Regulador;
3º – Se não resolver, reclamar com a Agência Nacional;
4º – Se não resolver, reclamar com a ALERJ.
 
 
Algumas Agências Reguladoras:

 
 
Agências Nacionais:

Be Sociable, Share!