Calor, ar condicionado e minha conta de luz

Mesmo tendo passado toda a minha infância em Bangu, um dos bairros mais quentes do Rio de Janeiro, nunca me habituei e sempre odiei o calor. Lá o uso do ar condicionado no verão era uma constante. A parede do meu quarto ficava quente. Mesmo ãs 2h da manhã, dava para sentir o calor vindo das parede, sem precisar tocá-las.

Depois de casado, apesar de morar em um local ligeiramente mais fresco, a questão ainda me incomoda. Aos poucos fui lendo e aprendendo mais sobre como evitar o calor dentro de casa. Como reduzir, depois que a casa está quente, sem a necessidade de um ar para cada cômodo, ou ainda um ar condicionado central, já que nenhuma das duas hipóteses estão de acordo com a minha disposição financeira.

Bem, não só colocar mais ar condicionado era possível, como manter o único da casa, que fica no meu quarto, tem sido cada vez mais difícil. Sempre que possível, abrimos a janela, ligamos o ventilador e tentamos segurar.

Isso só me deixou com mais e mais vontade de aprender mais sobre o assunto. Saber como o calor de propaga e as melhores maneiras de evitar que ele entre em casa.

Claro, ainda estou aprendendo, lendo, descobrindo, testando (na medida do possível, já que moro de aluguel E em prédio, o que limita muita coisa) e, sempre que me lembrar, vou compartilhar aqui. Tentarei também não entrar muito na parte técnica.

  1. Do lado de fora da casa está fresco, mas dentro de casa está muito quente? Coloque um ventilador, o mais alto possível, soprando para fora de casa. Ventiladores não são muito bons em puxar o vento, então recomendo uma distância de mais ou menos 1 metro entre o ventilador e a porta ou a janela. Com o ar quente saindo, o ar mais fresco de fora vai ter que entrar. Demora um pouco, mas funciona;
  2. Comprar um ar condicionado de potência maior não ajuda em economia (pelo menos se você não tem um ar inverter. Se não sabe o que é isso, provavelmente o seu ar condicionado não é). O compressor do ar armado reduz a umidade do ambiente. E baixa umidade é uma ótima forma de ter a sensação de frescor. Quando você compra um ar condicionado muito forte e reduz o termostato, a temperatura e o consumo de energia podem até ser os mesmos de um mais fraco, mas a umidade vai ser maior, o que vai fazer você sentir que está mais quente. Aí você vai aumentar a potência e acabar gastando mais energia que inicialmente.
  3. Ar condicionado mais ventilador é uma combinação e tanto! O ar condicionado reduz a temperatura e a umidade e o ventilador ajuda com a sensação. Experimente a combinação antes de colocar o ar no máximo ou mesmo de trocar por um modelo mais forte. A sensação é boa e ainda pode te ajudar a economizar um pouquinho.
  4. Se alguma parede da sua casa pega sol o dia todo, tentar compensar isso com o ar condicionado vai ser uma briga difícil e cara. Se puder, tente criar sombra na parede, sendo plantando uma árvore (que além de fazer a sombra, refresca o ambiente no calor e deixa passar o sol no inverno), seja colocando alguma estrutura de madeira a alguns centímetros da parede. A distância é importante para o calor não passar para a parede pelo contato direto e para esfriar a madeira (e a parede) mais facilmente com o vendo.
  5. O ar quente sempre vai subir, enquanto o mais fresco vai descer. Pensando assim, tente sempre ficar o mais próximo do chão possível. Camas boxes são boas para guardar coisas, mas não ajudam muito com o calor. Janelas próximas do teto são excelentes para reduzir o calor da casa, quando do lado de fora está mais fresco.
  6. Falando em lado de fora, quando estiver mais quente do lado de fora que em casa, feche tudo. Ou o ar quente da rua vai entrar na sua casa.
  7. Ainda sobre trocar ar quente, já reparou como o motor de uma geladeira gasta tão pouco se não abrimos a porta? Isso acontece pois a geladeira é completamente fechada, termicamente falando. Então porque não tentar replicar isso no seu quarto com ar? Feche todas as frestas, principalmente de portas e janelas. Não esqueça do vão entre a porta e o chão (existem várias formas de reduzir esse espaço).
  8. Mas claro, televisão, computadores etc geram calor. Quanto mais equipamentos ligados, mais consumo de energia e mais calor no ambiente. Se você usa o computador apenas para internet, que tal trocar por um tablet? Sabe aquela panela com água fervendo há 15 minutos? Ela está gerando calor E umidade, não só aumentando a temperatura, quanto a sensação térmica! Se puder evitar, é melhor! 🙂
  9. Janelas, mesmo fechadas, e portas de vidros são grandes passagens de calor para casa. Não só isso, eles geralmente deixam passar também os raios UV, tão nocivos à nossa pele. Já reparou como coisas, principalmente calendários etc, perto de janelas desbotam a cor com tanta facilidade? Se puder, bloqueie a entrada de luz durante as horas mais quentes do dia, uma persiana já funciona muito bem, mas para ficar bom mesmo, tente bloquear a claridade e o sol ainda do lado de fora da janela. Procure por “brise soleil” no Google, dê umas olhadas nas fotos, você vai entender. 😉

Depois eu compartilho mais coisas e, se puder, dou mais detalhes de como implementar essas dicas acima.

Tempo livre demais é bom?

Se você acompanha esse blog (o que eu duvido muito, já que nos últimos anos eu tenho mantido uma média de 0 a 1 post por ano), você aprendeu duas coisas sobre mim:

1. Eu mudo de opinião a todo o momento;
2. Eu gosto de reclamar.

Mas nem sempre estou reclamando, às vezes dou alguma dica aqui. Se ela é útil, eu não faço ideia. Mas o mais importante é que esse blog é um espaço que eu tenho para escrever sobre o que vier na minha cabeça. Eu escrevo para mim, não para você, por isso alguns post são tão perdidos, como o início deste aqui mesmo e a maioria das vezes sem nenhum tipo de revisão ou releitura do material.

Chega de delongas e vamos lá:

Existe uma chance de você ter lido ou ainda ler meu post chamado “As 8 horas restantes”, a qual eu demonstro que além das 8 horas de trabalho e as 8 horas dormindo, não sobra tanto tempo assim quanto parece para um investimento profissional. Mas hoje eu vou falar de algo que é quase o oposto à esse post: Tempo livre demais é bom?

Resposta curta: depende.
Resposta mais curta ainda: não.

Por mais tentadora que pareça o tempo livre, ele não me parece ser tão bom assim. Eu posso jurar de pés juntos que no meu dia inteiro livre, vou fazer um milhão de coisas. É realmente, em um dia eu posso até fazer. Mas esse tempo livre todos os dias (ou todos os finais de semana, que seja, caso você esteja ocupado durante a semana) acabam se tornando horas de tédio. O tédio viram dezenas de pacotinhos de biscoito ou bala, horas de procura por um filme que nunca é exatamente aquilo que você queria ver no Netflix ou ligar a TV aberta e ficar trocando de canal, reclamando que não tem nada de bom.

Em pouco tempo, você vai se sentindo cada vez mais cansado, desanimado. Levantar do sofá vai sendo cada vez mais difícil. Seu ânimo vai caindo e você começa a se achar “muito velho” para qualquer coisa.

Mas, se ao invés disso, você passasse esse tempo correndo atrás de uma paixão, ou mesmo tomando conta de hobbies, que te deixassem com pouco tempo livre. Apenas disponível para que você descanse um pouco, curtir um filme ou um seriado com alguém especial ou planejar aquela tão sonhada viagem que você só vai ter o tempo e o dinheiro em alguns meses ou mesmo anos?

Não sei quanto a vocês, mas eu me sinto muito mais feliz tentando e conseguindo progredir, correndo atrás de um objetivo que eu quero, que 1 mês depois de conseguí-lo. Não apenas isso, mas correr atrás não só me deixa mais motivado, me deixa mais ativo, mais animado. Mais feliz de uma forma geral.

Não estou dizendo que é fácil se dedicar ao emprego, a esposa, a minha filha, a melhorar no trabalho, aos amigos, a projetos paralelos que eu tenho curtido fazer, mas é muito mais interessante e divertido que ficar deitado, vendo a vida passar.

E você, realmente aproveita quando tem muito tempo livre?

Qualidade de vida…

Uma coisa que tenho procurado muito pra mim nos últimos anos foi a tal qualidade de vida. Ela não é uma variável binária, algo como ou se tem ou não se tem, mas sim algo que você vai aprimorando a cada dia e que transforma sua vida conturbada em algo mais tranquilo e mais feliz.

Eu gostaria aqui sinceramente de dar um grande passo-a-passo, simplesmente ensinar uma fórmula simples e fácil que você possa aprender a melhorar sua qualidade de vida, só que não funciona assim. Cada pessoa tem um caminho e uma solução diferente para isto. O que serve pra mim pode não servir para você e vice versa. Mas isso não significa também que não há uma forma que eu possa dar algumas dicas. Não sou nenhum expert, mas vai que algo possa ser útil e realmente te ajudar?

Para começar é importante dizer que em muitos pontos, para melhorar a qualidade de vida você precisa passar por um processo mais doloroso no início, até pegar o ritmo e aí sim melhorar. Não se engane, nem sempre é fácil o início, mas geralmente vale muito a pena!

————-

Agora chega de bla bla bla e vamos as dicas:

Em primeiro lugar, recomendo você observar o que mais pode influenciar na sua vida, seu humor e sua disposição. Se você não estiver de bom humor e sem disposição, dificilmente conseguirá se empenhar em uma forma de melhorar, então pegue um papel e caneta, abra o bloco de notas, Evernote ou similar e comece a listar:

1. As coisas que mais te estressam no dia-a-dia (um botão de controle remoto que não funciona direito? Abrir e fechar a porta do armário que anda com problema? Falta de organização das suas coisas em casa?);

2. O que pode melhorar o seu humor/disposição (Alimentação melhor? Mais horas de sono? 5 minutinhos de exercícios ao acordar?);

3. Coisas que você gostaria de saber/aprender ou que de alguma forma lhe ajudariam, seja em casa ou no trabalho (aprender formas melhores de limpar a casa, se barbear, um hobby etc. Dê preferência as coisas que você não gosta de fazer).

Depois de tudo listado o ideal é se concentrar nas piores coisas para você, se lembrando sempre que o perfeito não pode ser inimigo do bom. Ou melhor, não tente conseguir uma solução perfeita. Isto não existe! Apenas tente arrumar um jeito de melhorar um pouquinho, pois toda melhora é válida!

Na minha experiência, as coisas que mais fizeram a diferença foram:

  • dormir melhor
  • me alimentar melhor
  • exercícios de manhã
  • ter um tempo no dia, alguns minutinhos somente, sem olhar celular, ouvir música etc, livres para a mente correr solta e relaxar
  • não dormir no ônibus
  • Esta foi a mais difícil de todas pois eu simplesmente ficava exausto, não me aguentando acordado mesmo que estivesse de pé. Foram várias semanas sofrendo até conseguir me adaptar, mas meu humor melhorou muito quando não consigo lugar no ônibus. Outra ajuda foi passar a ir e voltar do trabalho lendo. A viagem deixou de ser um martírio e passou a ser prazerosa, independente se está engarrafado ou não.

  • perder o vício em redes sociais, fóruns, blogs, e-mails, messengers etc
  • Não disse não utilizar mais, porém não fico o dia inteiro com estas coisas abertas. Primeiro faço o que preciso, depois abro um pouco tudo isso, olho tudo, respondo o que for necessário e fecho todos de novo. No geral, estes são os maiores responsáveis por eu estar sempre sem tempo para tudo e me estressar quando tenho muito o que fazer.

  • sempre estar aprendendo algo novo, diferente, algum hobby
  • geralmente comprar menos coisas mas de melhor qualidade
  • Atualmente prefiro não ter algo do que comprar um de qualidade ruim e que não vai me atender no futuro.

Depois de todas estas mudanças que nunca terminam, pois sempre há alguma modificação na casa, no carro, no computador, nos meus hábitos etc para melhorar, minha qualidade de vida foi melhorando absurdamente e hoje tenho uma vida muito mais prazerosa, mais controlada e feliz que antigamente. Minha vida é perfeita? Não! Também não posso dizer que nunca me estresso, mas que com certeza ela melhorou muito, isso melhorou!

Tags:

Environment variables

Hoje estava pensando em como fazer um tutorial para que as pessoas na minha empresa conseguissem, elas mesmas, atualizar as assinaturas do Outlook. Eu já tínhamos todos os arquivos de assinaturas no servidor, mas a variedade de sistemas operacionais e Offices dificultavam muito a tarefa, pois, dependendo da versão e idioma, o caminho de onde deve ser armazenada a assinatura muda.

Alguns usam Windows XP em inglês, outros em português e ainda alguns usam o Windows 7. Se já não bastasse, as versões do Office também são muitas (2003, 2007 e 2010), também algumas em EN ou BR.

Foi aí que me lembrei das Environment variables, também conhecidas como variáveis de sistema que são, nada mais, nada menos, que atalhos do para algumas pastas importantes, como a pasta que você instalou o Windows, a pasta onde os seus programas são instalados etc. Com uma pesquisa rápida no Google, achei a mais que perfeita %APPDATA%!

Vai lá, eu te espero! Copia o %APPDATA%, cola na barra de endereços do Windows Explorer e aperta Enter!

Sim, ela leva direto para a pasta Aplication Data, dentro de Documents and Settings\Seu-nome-de-usuário, se você estiver usando o Windows XP, ou Users\Seu-nome-de-usuário\Roaming se você estiver no Windows 7. Assim sendo, independente se o usuário usa o Windows XP ou o 7 eu posso simplesmente pedir que ele entre em %APPDATA%\Microsoft\Signatures.

Claro, esta solução não é universal e não vai atender a todos os casos, mas já reduz a quantidade de casos que eu tenho que tratar individualmente quando estou fazendo a documentação ou mesmo se eu estivesse programando!

Mas se você tiver uma solução melhor que esta, por favor, me deixe saber como você fez!

Domínio Registro.br como Addon Domain no BlueHost

Todo mundo que já tentou associar um domínio do Registro.br como Addon Domain no BlueHost sabe o drama que é:
 

O Registro.br só aceita apontar o servidor DNS para o BlueHost se ele já estiver configurado para o domínio correto e o BlueHost só deixa configurar o domínio se você apontar o DNS do Registro.br para ele.

 
Ok, há ainda 2 outras formas de configurar o BlueHost sem a necessidade de alterar o DNS no Registro.br. Mas uma delas é adicionando um arquivo com nome específico no domínio (impossível se você não tem uma hospedagem configurada) e a outra é tentando enviar um e-mail para a conta cadastrada como dono do domínio, porém ele sempre acredita fielmente que o seu e-mail é o cert@cert.br…

Para o BlueHost, até o oglobo.com usa o e-mail do cert@cert.br...

Porém, com a adição de serviço DNS no Registro.br a coisa ficou muito mais fácil. Para configurar o seu domínio, faça o seguinte procedimento:

  1. Entre no BlueHost, e em Domain Manager adicione um Addon Domain;
  2. Digite o endereço do seu domínio do Registro.br, ele vai pedir para você apontar o seu DNS para ele;
  3. Entre nas configurações de registro DNS do seu domínio no Registro.br;
  4. Marque a caixa com a opção para usar o DNS do próprio Registro.br;
  5. Clique no botão Salvar;
  6. Ao terminar de salvar, o Registro.br vai indicar que o seu domínio está atualizando e disponibilizará um botão Alterar e Salvar, clique nele;
  7. Na tela que abrir, clique no botão Avançado;
  8. Adicione um Registro “A” apontando para 66.147.244.191*;
  9. Salve e espere que os servidores DNS atualizem;
  10. Volte na página do BlueHost, apague e digite novamente o domínio que você quer;
  11. Neste momento o domínio será reconhecido como seu. Clique em Add Domain para salvar.
     
    Se quiser, pode parar neste passo, ou…
  12. Volte no Registro.br e altere o DNS para os do BlueHost, que são:
     
    Master: ns1.bluehost.com
    Slave 1: ns2.bluehost.com
  13. Agora é só aguardar a replicação nos servidores DNS e aproveitar! 🙂

* – Confirme o endereço IP no BlueHost. Ele fica na tela de adicionar Addon Domain, no Step 2: Verify Ownership.

Desculpem-me o passo-a-passo não muito bem feito. Fiz o procedimento mais cedo e não consegui voltar nas telas para saber exatamente o nome do todos os botões, mas resumindo tudo, o que fiz foi o seguinte:

Configurei o domínio do Registro.br para usar o DNS dele mesmo. Tendo este DNS configurado, adicionei um “A” Record apontando para o BlueHost, assim ele me reconheceu como dono do domínio e permitiu a adição. Então voltei no Registro.br, agora que o BlueHost já estava configurado e pude alterar novamente o DNS, mas desta vez para o endereço do BlueHost.

Tags: , , , , ,